No dia 22 de agosto comemora-se o Dia do Folclore no Brasil. A data foi estabelecida através de um decreto federal de 1965 no Estado de São Paulo. A palavra Folclore surgiu a partir da junção de dois antigos vocábulos saxônicos. “Folk”, em inglês, significa “povo”. E “lore”, que é conhecimento. Assim, “folklore” traduz em ”conhecimento popular”. O termo foi criado por um pesquisador da cultura européia, William John Thoms (1803-1885), que, em 22 de agosto de 1846, publicou um artigo intitulado “Folk-lore”. No Brasil, após a reforma ortográfica de 1934, que eliminou a letra k, a palavra perdeu também o hífen e tornou-se “folclore”.
Folclore é toda a ciência de tradições e usos populares, constituída pelos costumes populares transmitidos entre as gerações. Qualquer população possui suas tradições, crendices e até mesmo suas superstições, que são repassadas através de contos, lendas, histórias, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas, festas e outras atividades culturais que no meio do povo nasceram e se desenvolveram.
Segundo a Carta do Folclore Brasileiro, aprovada pelo I Congresso Brasileiro de Folclore em 1951, “constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservadas pela tradição popular, ou pela imitação”. O modo que o povo tem para compreender o mundo em que vive, colabora para que esse mesmo povo seja reconhecido diante dos demais. O folclore serve para distinguir o modo de ser um determinado grupo.

Folclore da região centro oeste

No Brasil, costuma-se dividir o folclore do país por região territorial. Cada qual tem suas características mais determinantes. Porém, obviamente, a cultura de cada estado é bastante ampla, pois além da região ser a mesma, ainda é constituída de estados e suas respectivas cidades e/ou munícipios que possuem mais algumas características distintas uma das outras.

  Na região Centro-Oeste a população foi formada a partir dos povos indígenas, pelos brancos vindos de outras regiões e pelos os negros. Cada etnia já possuía uma cultura de suas raízes e foi mesclando uma nas outras até que surgiram as manifestações culturais, artísticas e religiosas. O folclore local é marcado pela pluralidade de danças, cantos, lendas e crenças.

Algumas das principais manisfestações :

  • Cavalhada: Uma festa que relembra o domínio do cristianismo na região hoje formada por Portugal e Espanha representada por uma falsa batalha entre mouros e cristãos. Em Goiás, a mais famosa ocorre em Pirenópolis.
  • Cururu – Canto formado por trovas repentistas, chamadas originalmente de carreiras ou linhas, cantadas por vários caminhantes em agradecimento a um santo. É realizado em Mato Grosso.
  • Procissão do Fogaréu – Apresentação da tradição religiosa que relembra a prisão de Jesus Cristo por soldados romanos mascarados. A mais bem produzida ocorre no município de Goiás (GO), antiga capital do Estado, a 135 quilômetros de Goiânia.
  • Siriri - dança típica do Mato Grosso, tem como característica a troca de casais. É marcada pelo som do mocho (espécie de tambor em forma de banco, feito com madeira e couro de boi). O nome vem de siriricar, o movimento feito pelo pescador na pesca com anzol e reproduzido pelos dançarinos ao escolher o par.
  • Marimbondo - Dança mais conhecida em Goiás. O bailarino revela sua habilidade de dançarino-equilibrista, enquanto os circunstantes acompanham seus movimentos com interesse e graça. Quando o dançarino erra todos fazem deboche dele. Os instrumentos usados são o pandeiro e a cuíca.
  • Palminha - Modalidade de quadrilha rural muito apreciada, principalmente em Goiás. Ao som da orquestra regional um cavalheiro, agitando um lenço, caminha em direção a uma das damas e lho entrega, à guisa de convite para dançar. Dançam aos pares, soltos. Por fim, a dama entrega o lenço a outro cavalheiro, e dança igualmente com este. O lenço somente é devolvido ao dono depois de fazer uma volta completa. A coreografia desta dança faz referência ao caminho da roça.
  • Catira - Realizada por homens, e atualmente já existem grupos com integrantes femininas, que, estando em frente um para o outro, sapateiam e batem palmas no ritmo da viola.
Folclore da região centro oeste

  As lendas da região são: A Mãe do Ouro, Onça da Mão Torta, Saci-pererê, Negro d’água, Romãozinho, A Criação do Mundo, Como Nasceram as Estrelas, Lendas da Mandioca e Lendas do Milho, lenda da Dama de Branco, Arranca-Língua, Mula-sem-Cabeça, Gu-ê-Crig, Visão e Kilaino que estão entre os Entes Fantásticos da região Centro-Oeste.

  A culinária da região também é bastante variada, com pratos típicos em cada estado.

  • Goiás - Pratos populares: arroz com pequi, guariroba, leitão assado, empadão goiano, galinhada, tutu com linguiça, couve, torresmo, quiabo refogado, biscoito de polvilho, manjar branco com calda de ameixa.
  • Mato Grosso - Pratos populares: Uma das receitas mais conhecidas deste local é a mojica, feita com o peixe pintado. Os peixes são muito consumidos, tipos como o pacu, pacupeba, piabucu, piraputanga e dourado. O acompanhamento geralmente é a banana da terra.
  • Mato Grosso do Sul - Pratos populares: A maioria dos pratos são feitos com peixes e carne. Algumas preparações: arroz de carreteiro com charque, moqueca de peixe, pacu assado, caldo de piranha, doces de abóbora, mamão, cajú, licor de pequi, etc.
  • Distrito Federal - Pratos populares: Em Brasília, pode ser encontrado de diversos pratos, tipo: pato no tucupi, feijoada, churrasco, galinha ao molho pardo. Pois a capital tem muita influência da culinária estrangeira, como também da culinária regional do Brasil.
Folclore da região centro oeste
Mais informações por email

Outro textos: