Os primeiros quarenta dias após o parto, é o período em que a mulher prrecisa fazer a sua recuperação. Denominado quarentena, esse perídodo é muito importante para saúde da mulher, seja nos aspectos físicos ou psicológicos. Os órgãos reprodutivos da mulher só começam a voltar ao normal aproximadamente depois de dois meses após o parto. O útero por exemplo, chega a crescer 50 vezes o seu tamanho durante a gravidez e necessita desse tempo para retornar seu tamanho normal. Além disso, a região da placenta também se altera, criando feridas que somente cicatrizam se a mamãe fizer repouso corretamente.

Recomenda-se que a mulher fique deitada e descançando, não necessariamente precisa ser a quarentena inteira, mas sim o tempo que for preciso. As pequenas atividades físicas devem ser retomadas aos poucos, não se deve carregar peso antes de no mínimo 30 dias, mas os exercícios de lavanta e senta, podem ser feitos com cuidado, são ótimos para a estimular a musculatura abdominal.

Engravidar na quarentena

No período de recuperação, surgem muitas dúvidas, sobre alimentação, hábitos e higiene. Sobre a alimentação, e bom realizar uma alimentação rica em fibras e muito líquido, ajuda na digestão e não causa gases, os exageros de comidas muito fortes, calóricas, com muito açúcar e cafeína, não são bons para se consumir nesse período, mesmo porque essas substâncias são passadas para o bebê através da amamentação. A higiene é muito importante, pois evita que a mulher tenha possíveis infecções, quando se sentir segura, pode tomar banhos diários, lavar os cabelos, e é bom usar absorventes genitais, que devem ser trocados com frequência.

As relações devem ser evitadas, mesmo porque nesse perído, será difícil a mulher sentir vontade, por conta das dores e dos pontos. Além do mais, o seu órgãos estão em recuperação, os vasos do útero onde antes ficava a placenta estão abertos, se sujeitando a uma contaminação e infecção. A relação pode ser feita depois que toda a região que sofreu trauma esteja cicatrizada completamente. Também é importante saber que apesar da mulher estar amamentando, não significa que a sua ovulação não ocorra, o risco é mínimo, mas é aconselhável utilizar meios contraceptivos, de acordo com a prescrição médica, para que não aconteça uma nova gravidez.

Mais informações por email

Outro textos: